Aeronaves do Comando de Aviação do Estado (COMAVE), da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), sobrevoam diversas regiões de Minas para ajudar a combater os incêndios que assolam o meio ambiente, principalmente nas unidades de conservação, áreas de preservação permanente e de grande interesse ecológico. Num trabalho contra o tempo para evitar a propagação das chamas, coordenado pela Gerência de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Previncêndio), do Instituto Estadual de Florestas (IEF), são utilizados sete helicópteros da PMMG, dois helicópteros e um avião do IEF, um helicóptero e um avião da PCMG, além de aviões de combate a incêndios contratados pelo IEF e CBMMG.

De acordo com o comandante do COMAVE, coronel Marcos Vander Ramos, a ação da unidade nesses locais ocorre de forma conjunta entre a PMMG, a SEMAD, o IEF, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC), o CBMMG, a Polícia Civil, além de órgãos Federais. “O empenho dos helicópteros é fundamental para o traslado rápido dos brigadistas até as linhas de fogo em locais de difícil acesso, traslado de alimentação, equipamentos diversos e ferramentas, bem como o lançamento de água para amenizar as chamas e permitir o combate direto, já os aviões são usados na identificação rápida dos focos e combate direto aos incêndios”.

Segundo o coronel, o COMAVE conta com seis bases no estado de Minas e, desta forma, a corporação consegue apoiar nesse período crítico, utilizando os helicópteros ou aviões do COMAVE/PMMG ou do IEF/SEMAD que esteja na base mais próxima. “Temos plantões em todas as nossas bases e, quando há acionamento relacionado a incêndio, conseguimos realizar o primeiro combate, que é essencial”, disse.

Nos últimos dias, por exemplo, as aeronaves da PMMG, do IEF e da PCMG foram empregadas no combate a incêndios em Ouro Branco, Ouro Preto, Araponga, Pico do Itambé, Januária, Bonito de Minas e Buenópolis. Segundo o gerente do Previncêndio, Rodrigo Bueno Belo, “a integração entre a PMMG e o IEF para prover a logística de suporte às atividades de combate é imprescindível e o engajamento da sociedade nesta luta é fundamental para que o cenário dos incêndios seja revertido.”