Divulgação: Diocese de Itabira

A Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano celebrou com alegria no último domingo, 09 de junho, em cada uma das três regiões pastorais, a festa em comemoração dos 59 anos de sua ereção canônica. A celebração marcou a abertura do Ano Jubilar Diocesano rumo aos 60 anos de criação da diocese em 2025.

Na região pastoral 1 que consta de 14 (quatorze) paróquias a festa foi celebrada em Ipoema, Distrito de Itabira. A santa missa foi presidida pelo Pe. Ueliton Neves da Silva, coordenador regional de pastoral e após a missa um show com o cantor Hyuri Luna.

Na região pastoral 2 que consta de 13 (treze) paróquias a festa foi celebrada no município de São José do Goiabal e a missa foi presidida pelo Pe. Gustavo da Silva Alves, coordenador regional de pastoral.

Já na região pastoral 3 que consta de 24 (vinte e quarto) paróquias a festa foi celebrada na nova Igreja Matriz da Paróquia São José, em Timóteo, e a santa missa foi presidida pelo Pe. Pascifal José do Nascimento, vigário geral e pároco da paróquia anfitriã.

Dom Marco Aurélio Gubiotti, em sua mensagem para a Diocese chamou a todos a celebrar jubilosamente este ano da graça do Senhor como um tempo de renovação pastoral e missionária: “Somos chamados a vislumbrar nos fatos e acontecimentos cotidianos os sinais de Deus e no ordinário, a Graça que irrompe entre nossas fragilidades e incoerências. Um Povo que caminha no chão desse espaço missionário que hoje nos é confiado como discípulos missionários tem uma bela história, marcada por expressões de empenho de fidelidade, resistência e ousadia evangélica. Esse ‘rosto local’ se expressa desde seus primeiros anos a partir da atenção aos tantos rostos da população deste vasto espaço de comunhão e missão. Desde nosso primeiro bispo diocesano a Igreja de Itabira-Coronel Fabriciano foi se consolidando sobre as sólidas bases da Palavra, da Eucaristia, da caridade e da ação missionária. Quantas luzes para o tempo presente, tão pleno de interpelações e desafios. O jubileu diocesano nos oferecerá oportunidade de conversão pessoal e pastoral, com os olhos fixos em Jesus”, concluiu.